Gantz RPG (fase 2)


Hoje, por volta das 6:20 am, terminei de ler o capítulo 311 de Gantz. Estou fascinado. Eu estava criando algumas definições de atributos um pouco mais complexos, como Sangue e Energia e então resolvi relembrar sobre as aparições de vampiros e o uso de equipamento motorizado. Abri o mangá no capítulo 219, eram 9:16 pm.

Impressionante como ele consegue prender nossa atenção, pela brutalidade e ao mesmo tempo pela quantidade de sentimentos envolvidos, a noção de fragilidade dos seres humanos. Nossa volatilidade e futilidade. Inspirado por tudo isso, escrevi as palavras que farão parte do trecho inicial do livro.

Espero que dediquem suas atenções a estas palavras da mesma forma que dediquei a minha ao seu desenvolvimento.

Como sempre, críticas são bem-vindas.

Continue lendo

Anúncios

Gantz RPG (fase 1)


Bom dia amigos caóticos!

Como mencionado em minha postagem anterior, essa falação toda sobre GANTZ (que acabou se estendendo até ao RPG Vale) me deu uma vontade tremenda de retomar meu antigo projeto de RPG. Uma vez que estou desenvolvendo um sistema próprio, intitulado Sistema Sinapse, para jogos de interpretação, nada mais apropriado que ajustá-lo ao tema.

Em primeira mão, apresento-lhes a prévia da ficha de personagem.

Ficha GANTZ

Esse é o primeiro protótipo. Sintam-se à vontade para comentar e fazer sugestões/críticas ao design. Os detalhes sobre o Sistema Sinapse serão apresentados em breve, junto com o Módulo GANTZ RPG – Phase One.

Tenham um ótimo dia!

Ensaio sobre a Magia I


Olá amigos caóticos! Hoje vamos falar sobre as diversas linhas de magia utilizadas no mundo RPGístico. Alguma vez você já teve a sensação de que estava preso em um sistema de magia que não lhe parecia tão “mágico” assim? Muitos mestres preferem utilizar sistemas de magia com listas de efeitos pré-definidos, por que facilitam suas vidas e agilizam o jogo. Quem já teve vontade de “desenhar” suas magias na hora em que precisasse dela, ou até mesmo ter a possibilidade de combinar efeitos para gerar um resultado inovador, com a ajuda de outros conjuradores; alguns mestres desenvolvem um misto entre a magia mais liberal e aquela que vem pronta em listas e temos ainda quem goste de enfraquecê-la a tal ponto que a magia parece virar… ciência!

Então vamos dar início a esse assunto que gera tanta polêmica no mundo.

Em pauta: Sistemas de Magia. Continue lendo

Gantz RPG


Você jogaria?

Intro

Olá amigos Caóticos! Como eu já tinha falado um pouco a respeito desse mangá/anime que me fascina tanto, vou resumir o início de sua história nessas poucas linhas. Pois bem, Gantz conta a história do adolescente Kei Kurono, 16 anos, que morre atropelado pelo trem do metrô junto de seu amigo, Masaru Katou. Após isso os dois são transportados para uma sala para participar de um jogo sanguinário, violento e competitivo, comandado por uma “esfera negra” chamada Gantz.

Nota: Apesar da série de anime possuir um fim, a série de mangá continua, sendo publicada até hoje. Continue lendo

Fim das Férias!


Galera, preciso agradecer a todos que continuaram frequentando o blog apesar da minha notada ausência de atualizações. É realmente impressionante perceber que a quantidade de acessos (mesmo nesse período de aproximadamente 6 meses de ausência) foi praticamente a mesma, senão crescente! Acredito que tanto reconhecimento se deve à grande qualidade dedicada a tudo aquilo que faço e em especial a este blog, pelo qual nutro um grande sentimento, uma vez que foi o remake do meu primeiro grande projeto de internet. Justamente por esses motivos eu jamais poderia deixar passar em branco essa data, quando o blog Domínio do Caos retorna à atividade, trazendo mais uma vez materiais exclusivos, traduções e tudo de bom que o RPG tem para oferecer (sem pirataria). Então, caros leitores, marquem em seus calendários esta data, pois é o dia do recomeço, o dia em que a história do Domínio do Caos ganha uma nova página que foi escrita especialmente para cada um de vocês.

Continue lendo

RPG e trilha sonora combinam? (parte 3 de 3)


Pois bem, amigos caóticos, chegamos à parte final dessa matéria (inacreditavelmente extensa) sobre a relação que fizemos entre trilha sonora e RPG. Esse post é mais dedicado àqueles mestres que amam a tecnologia e têm disponível uma gama de acessórios tecnológicos, aparatos que vão além do nosso bom e velho CD Player. Trataremos também da questão “será que essa música se encaixa?” e daremos algumas sugestões de bandas com suas devidas relações quanto ao estilo RPGístico ao qual melhor se adaptam.

Acho que a melhor forma de resumir tudo isso é através de um bom exemplo, portanto preparei um resumo de aventura explicando as melhores músicas (pelo meu ponto de vista) para cada situação. Também explico como funciona a organização dessas músicas e da própria aventura, para que você possa compreender melhor a mecânica que age aqui. Em alguns momentos até mesmo os efeitos que busquei obter nos jogadores são relatados. Embora a matéria seja um pouco extensa, espero que você goste!

Então, o que está esperando? Clique aí embaixo e tenha uma ótima leitura.

Continue lendo

RPG e trilha sonora combinam? (parte 2 de 3)


Olá mais uma vez, meus amigos caóticos!

Expandindo o conteúdo de nosso último post, trataremos de alguns cuidados que devem ser tomados DURANTE o jogo. Serão três postagens dedicadas às duas coisas que mais gosto: música e RPG. Afinal, o que poderia ser melhor do que a harmonia desses dois temas, não é mesmo?

Por falar em harmonia, mais uma dica importante: procure utilizar músicas que não sejam cantadas, pois a letra das músicas costuma distrair os jogadores um pouco, principalmente quando há algum diálogo envolvido (embora na maioria das cenas de ação não haja problema).

Eu sempre relaciono a reprodução de músicas para RPG com aparelhos do tipo CD Player, mas é claro que também podem ser utilizados aparelhos de MP3/MP4, iPhones, computadores desktop, netbooks ou mesmo notebooks; qualquer um deles devidamente conectado à entrada de áudio do seu aparelho de som, para não desgastar as caixas por causa de volumes elevados, para os aparelhos com menor potência de reprodução.

Vamos então ao que interessa!

Continue lendo