Premiação

Ouvia com atenção o som da TV. Era o resultado da Mega-sena, que estava acumulada. Nunca ganhara nada. A cada número dito pelo apresentador, Juca suava mais. Acendeu um cigarro. Sentou-se na janela. Juca morava no quarto andar. O trem se aproximava.

Lígia era maquinista do trem há mais de 20 anos. Estava prestes a se aposentar. Estava cansada esta noite. Dormiu sobre os controles. O trem acelerou.

Juca prendeu a respiração. O trem sempre fazia o prédio tremer, ele odiava aquilo. Hoje não se importaria. Faltavam só dois números. O coração de Juca se acelerou.

Dos trilhos saltaram faíscas. Lígia tivera uma parada cardíaca. Mais depressa, mais depressa… o trem vai descarrilhar.

Na TV, o último número. Juca é milhonário.

No trem, Lígia jamais se aposentará.

O prédio treme com força. Muita força. Força demais…

Um milionário alça vôo pela janela da sala.

 

Por Johnathas Mendes Beccon

29 de outubro de 2009

Uma resposta

  1. Parabéns pelos interessantes contos. Assim nasce um escritor!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: