Interpretando Fragmentais I


Recentemente passei a fazer parte de um grupo de Dungeons & Dragons 4ª Edição, como jogador, assim estou tendo a oportunidade de conhecer melhor o sistema e também as raças e classes (incluindo todos os materiais já lançados até o momento). Acontece que com tantas possibilidades, resolvi tentar justamente um dos mais complexos personagens que já conheci: o Fragmental (Shardmind no original).

Sendo uma raça completamente nova no universo de Dungeons & Dragons, resolvi pesquisar mais sobre esses seres curiosos, residentes de diversos mundos, originários de nenhum. Ao longo dessa pesquisa me deparei com uma interessantíssima matéria publicada na Dragon #387 de Maio de 2010, que traduzi em duas partes para vocês. Espero que gostem.

Interpretando Fragmentais (baixar)

RPG e trilha sonora combinam? (parte 3 de 3)


Pois bem, amigos caóticos, chegamos à parte final dessa matéria (inacreditavelmente extensa) sobre a relação que fizemos entre trilha sonora e RPG. Esse post é mais dedicado àqueles mestres que amam a tecnologia e têm disponível uma gama de acessórios tecnológicos, aparatos que vão além do nosso bom e velho CD Player. Trataremos também da questão “será que essa música se encaixa?” e daremos algumas sugestões de bandas com suas devidas relações quanto ao estilo RPGístico ao qual melhor se adaptam.

Acho que a melhor forma de resumir tudo isso é através de um bom exemplo, portanto preparei um resumo de aventura explicando as melhores músicas (pelo meu ponto de vista) para cada situação. Também explico como funciona a organização dessas músicas e da própria aventura, para que você possa compreender melhor a mecânica que age aqui. Em alguns momentos até mesmo os efeitos que busquei obter nos jogadores são relatados. Embora a matéria seja um pouco extensa, espero que você goste!

Então, o que está esperando? Clique aí embaixo e tenha uma ótima leitura.

Continue lendo