:: Sadness II ::

“No estreito corredor da Montanha Subterrânea o grupo parou subitamente. Logo adiante algo jazia, inerte. Ao aproximarem-se puderam ver que tratava-se de um corpo, um corpo humano. Estava sujo, dilacerado, os ossos partidos. Sem armas ou armadura. Ainda assim havia algo de familiar nele. Griffin aproximou-se sem tocar em nada. Depois de muito olhar o elfo acenou positivamente para os companheiros:
– É ele Talber. Seu irmão está morto… Lincht está morto.”

– Undermountain, a busca por Lincht, irmão de Talber, que havia desaparecido havia semanas.

Wogal resolveu atender o pedido dos cavaleiros da morte e interpretar seus “sonhos” para trazer-lhes um pouco de alívio em seu suplício. Veja nesta continuação o resultado das interpretações.

Com um ar de arrogância, Wogal olha para o cavaleiro da morte e responde – o sarcasmo nítido em sua voz retumbante.

Wogal – Pouco deveria te impressionar, Alma Penada, já que os crimes que cometeste, vão além da mente humana.
Death Knight – …seus olhos tem a luz da eternidade e a profunda escuridão da morte ao mesmo tempo. Olhar para aqueles olhos é como ver minha própria destruição!
Wogal – Seus crimes não são poucos, mesmo nesses tempos de sombras. Tua destruição é a tua redenção, onde está tua bravura Servo da Morte?!
Death Knight – Mas não é a morte apenas Senhor… é a destruição final da alma o que vejo!
Wogal – Então é isso o que vês?!
Death Knight – E este homem, ele grita…
Wogal – Se a destruição te aguarda, ela aguarda a todos nós!
Death Knight – Ele chama por alguém… Ele chama por Lincht!
Wogal – Ele já está morto só que ainda não sabe!

Os olhos de Wogal se tornam sombras, e os lamentos da ilha se tornam terríveis, como se a alma da ilha tivesse medo de sua ira.

Wogal – Lincht, teu nome é como um chamado para a morte que se esforça para não atender!

A voz de Wogal ecoa com um som vazio no ar, como se tivesse sido pronunciada por uma caveira.

Death Knight – Ele grita dia e noite, grita e seus punhos estão presos com grandes correntes de um metal azul, o som dessas correntes é como o grito de mil almas, e a cada golpe, mais gritos unem ao seu coro interminável. As correntes gritam com ele e sua dor se faz maior a cada instante…
Death Knight – Senhor Wogal, eu já passei por muitos tormentos, mas nada se compara ao que vejo nestes sonhos!

A voz de Wogal ecoa com risadas que deixam os cavaleiros espantados.

Wogal – Hahahahaha, Então ele sofre?
Wogal – Hahahaha…
Death Knight – Ele me parece a própria essência da morte Senhor. Seria ele Kelemvor?
Wogal – Engano seu, não passa de um ambicioso estúpido! Quer me deixar com medo e está usnado vocês para isso. Quanto a Kelemvor, é poderoso sim , mas é mais novo do que você. Não tem nenhuma intenção contigo a não ser te exterminar, já que tu és um morto-vivo.
Wogal – Lincht não tem ligação nenhuma com Kelemvor, pois ele tem até uma Ordem de Paladinos só pra ele.
Death Knight – Seja quem for, não é um mortal Senhor, pois mortal algum poderia trazer o medo ao vazio de um Cavaleiro da Morte…
Wogal – Não é Medo, apenas o desconhecido há um pouco de humanidade dentro de ti ainda. Aproveite isso.

Os cavaleiros fazem uma reverência em sinal de respeito e deixam o aposento.
Wogal se acalma, e seus olhos voltam ao normal. Os lamentos se tornam baixos novamente.

Wogal diz ao vento:

“Se tu queres a Morte Lincht, a Morte é o que terás. Eu enfrentei a Morte por várias vezes e ainda estou aqui, porém quem és tu? Para trazer tormento a Almas Penadas que tem que pagar pelos erros que cometeram em vida, tu és mais baixo do que aquele que eu seguia antes!”

Através do vento também surge uma voz…
“Não invoque o nome em vão… mago…”

[continua…]
__
“In the middle of the hall the hearth is crackling…
Nobody notices….. the shadows stretching…
Everybody screams and sings and laughs…

Everybody…. except…. one…”

Evol – Tower of the Necromancer

[☺]Soundtrack

Há muitos mistérios sobre a figura de Wogal Bogard, um necromante que buscou a imortalidade de diversas formas ao longo de centenas de anos, mas que rendeu-se finalmente aos encantos da morte, pura e simplesmente. Traído até mesmo pelos deuses graças a sua busca pela necromancia negra, resolveu dedicar-se exclusivamente à busca pelo conhecimento e pelo poder. Durante sua juventude participou de inúmeras batalhas ao lado de seu grupo. Ficou conhecido como ‘O Arcano’ nas terras por onde passou e os bardos contam diversas histórias sobre seu temperamento incomum. Imortal graças à benção-maldição de um cajado místico, erigiu sua torre na Ilha dos Lamúrios, onde é servido por diversos Cavaleiros da Morte.
Por diversas vezes batalhou ao lado de Lincht. Hoje, porém, são inimigos mortais. Que tipo de ameaça poderíam oferecer um ao outro? Quais as medidas exatas de poder de um em relação ao outro? Será este o prenúncio de uma batalha entre os antigos aliados?
Veja na conclusão desta história: Sadness III.

\\ROOT:\UNIT 7\>[END OF SADNESS II]\[DAY 7]\> LOGOFF.EXE

.:[END]:.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: