:: Sadness III ::


“- Não adianta, – disse Talber – não consigo trazê-lo de volta.
– Tem que tê um jeito, – disse Beldar – funcionô com todo mundo, tem que funcioná com ele!
– É como se toda a sua energia tivesse sido exaurida, como se seu espírito não quisesse responder a meus chamados! Mas eu o conheço e sinto que sua missão não está terminada. – tornou a falar Talber olhando Wogal, Beldar e Griffin e em seguida pondo as mãos sobre a cabeça, os cabelos surgindo entre os dedos, a respiração ofegante pela exaustão.
– Talvez a ressurreição… – disse O Arkano.
– É extremamente arriscado, provavelmente ele não retornará como um humano e talvez nem se lembre de quem somos, mas acho que devemos tentar… – disse Talber enquanto realinhava seu manto e removia com a mão o suor que escorria por seu rosto.”

– A última alternativa: a ressurreição de Lincht.

Séculos após tornar-se um inimigo, Lincht volta a fazer contato com seu antigo grupo. Veja agora a conclusão deste acontecimento.

Reconhecendo a voz, Wogal não se abala, mas reconhece o poder de seu inimigo.

Wogal
– Não temo a destruição, tema por ti apenas!
Voz – Em breve eu mudarei tudo isso, você é poderoso, e sábio… mas eu vi coisas além do tempo, eu fui além do que você jamais verá. Eu conheci a origem…
Wogal – Se és Lincht, não passa de um Mentiroso…
Voz – Eu tenho O Tomo do Tempo, Wogal Bogard!
Wogal – Todos dizem isso, exatamente do modo como falo contigo agora tu me escuta onde está!
Voz – Minhas marionetes estão agindo bem, não é mesmo?
Wogal – O dono desse tomo, não sairia assustando os outros, simplesmente faria tudo o que tem que fazer, mentes tão mal quanto Halver! És um péssimo mentiroso!
Voz de Lincht – Nirgan me deu o livro do tempo, agora falta pouco para atingir meus objetivos, por que eu não contaria a você? Tem o direito de saber… depois não se lembrará de nada! Que diferença terá feito afinal?
Wogal – Idiota! Não és nada! Tenta me atingir, por que não entende as escrituras! Nunca deixarás de ser um verme! Tem o poder e não pode usá-lo! HAHAHAHAHAHAHAHA
Voz de Lincht – Se eu não puder, quem poderá? Um deus?
Wogal – Ninguém! Morrerás exatamente como Karsus morreu! Continua patético, Lincht.
Voz de Lincht – Karsus era obcecado por poder… eu já possuo o poder. Hahaha.
Wogal – Pensa que tem , mas não o tem! Se tivesse já teria feito tudo, eu te conheço! Preste atenção, o Tomo não será seu por muito tempo!
Voz de Lincht – Se você tem tanto poder quanto julga… por que não vem tomá-lo de mim?
Wogal – E tirar os créditos daqueles que irão te matar? Eu sei entender o que diz no Tomo, por isso veio me incomodar. Qual é a chantagem?
Voz de Lincht – Sabe que não o venceria em um combate direto de magia…
Wogal – Serás morto por um Rei, sempre esnobou essa raça, pois então será o Rei dessa raça que te destruirá, um Rei de Puro Sangue que tem minha amizade e admiração!
Voz de Lincht – Eu tenho algo que meu irmão quer… E que pode interessá-lo também… Eu tenho o corpo desalmado de Ziegfried…
Wogal – E o que tu queres em troca? Queres que aquele que escutou as notas da Criação, leia o tomo pra ti? Jamais farei isso, um deus é um sacrifício aceitável diante do controle do tempo!
Wogal – Jamais controlarás o tempo Lincht, por que todos os que entendiam o tomo estão mortos, o único que ainda está vivo sou eu! Viverás para conhecer tua derrota nas mãos do Rei dos Anões! Eis a Profecia da tua destruição! Que foi proferida por aquele que nos seus últimos momentos de existência pediu as nossas almas. Tu deves lembrar disso, não lembras?
Voz de Lincht – Ziegfried abandonou grande parte de sua divindade e a entregou para meu meio-irmão para que eu não pudesse me tornar absoluto… mesmo assim eu absorvi parte de sua essência, o que me deixou mais forte do que eu era. Mas uma parte se perdeu, jamais consegui compreender de que maneira isto pode ocorrer, ou onde essa energia foi parar. Mas se você não deseja colaborar, ainda há outras pessoas que o farão… é apenas uma questão de tempo, e eu tenho todo o tempo do mundo…
Wogal – Não importa, a profecia se concretizará! O instrumento da Criação nunca mais aparecerá! Eu me certifiquei disso.
Wogal – Anda muito esquecido Lincht, negociou da maneira errada e com a pessoa errada.

Ouve-se uma risada através do vento e uma lufada de vento através da noite…

Wogal – Teu destino final está se aproximando.
Voz de Lincht – Pode um homem mudar seu destino? Um já mudou Wogal… eu serei o próximo…
Wogal – Não será, tenho certeza!
Wogal – Somente um homem tão chato quanto eu consegue fazer isso, e tu não és rabugento o suficiente, HAHAHAHAHAHAHA

A lua minguante brilha sobre as nuvens, a voz de Wogal se perde na escuridão abaixo. Através da janela de sua torre ele continua a observar a noite tranqüilamente.

[FIM]
__
“Time what is time
He saw it clearly it’s too late
It does not heal but it lets us forget
Time what is time
We’ll never know
So don’t take care
Then time is time again”

Blind Guardian – Time what is Time

[☺]Soundtrack

A noite se adensa. A trama se torna mais espessa. O mistério tem início. Façam suas apostas. O que está por vir? A lua negra espreita na escuridão.

\\ROOT:\UNIT 7\>[END OF SADNESS III]\[DAY 8]\> LOGOFF.EXE

.:[END]:.

Anúncios

:: Sadness II ::


“No estreito corredor da Montanha Subterrânea o grupo parou subitamente. Logo adiante algo jazia, inerte. Ao aproximarem-se puderam ver que tratava-se de um corpo, um corpo humano. Estava sujo, dilacerado, os ossos partidos. Sem armas ou armadura. Ainda assim havia algo de familiar nele. Griffin aproximou-se sem tocar em nada. Depois de muito olhar o elfo acenou positivamente para os companheiros:
– É ele Talber. Seu irmão está morto… Lincht está morto.”

– Undermountain, a busca por Lincht, irmão de Talber, que havia desaparecido havia semanas.

Wogal resolveu atender o pedido dos cavaleiros da morte e interpretar seus “sonhos” para trazer-lhes um pouco de alívio em seu suplício. Veja nesta continuação o resultado das interpretações.

Com um ar de arrogância, Wogal olha para o cavaleiro da morte e responde – o sarcasmo nítido em sua voz retumbante.

Wogal – Pouco deveria te impressionar, Alma Penada, já que os crimes que cometeste, vão além da mente humana.
Death Knight – …seus olhos tem a luz da eternidade e a profunda escuridão da morte ao mesmo tempo. Olhar para aqueles olhos é como ver minha própria destruição!
Wogal – Seus crimes não são poucos, mesmo nesses tempos de sombras. Tua destruição é a tua redenção, onde está tua bravura Servo da Morte?!
Death Knight – Mas não é a morte apenas Senhor… é a destruição final da alma o que vejo!
Wogal – Então é isso o que vês?!
Death Knight – E este homem, ele grita…
Wogal – Se a destruição te aguarda, ela aguarda a todos nós!
Death Knight – Ele chama por alguém… Ele chama por Lincht!
Wogal – Ele já está morto só que ainda não sabe!

Os olhos de Wogal se tornam sombras, e os lamentos da ilha se tornam terríveis, como se a alma da ilha tivesse medo de sua ira.

Wogal – Lincht, teu nome é como um chamado para a morte que se esforça para não atender!

A voz de Wogal ecoa com um som vazio no ar, como se tivesse sido pronunciada por uma caveira.

Death Knight – Ele grita dia e noite, grita e seus punhos estão presos com grandes correntes de um metal azul, o som dessas correntes é como o grito de mil almas, e a cada golpe, mais gritos unem ao seu coro interminável. As correntes gritam com ele e sua dor se faz maior a cada instante…
Death Knight – Senhor Wogal, eu já passei por muitos tormentos, mas nada se compara ao que vejo nestes sonhos!

A voz de Wogal ecoa com risadas que deixam os cavaleiros espantados.

Wogal – Hahahahaha, Então ele sofre?
Wogal – Hahahaha…
Death Knight – Ele me parece a própria essência da morte Senhor. Seria ele Kelemvor?
Wogal – Engano seu, não passa de um ambicioso estúpido! Quer me deixar com medo e está usnado vocês para isso. Quanto a Kelemvor, é poderoso sim , mas é mais novo do que você. Não tem nenhuma intenção contigo a não ser te exterminar, já que tu és um morto-vivo.
Wogal – Lincht não tem ligação nenhuma com Kelemvor, pois ele tem até uma Ordem de Paladinos só pra ele.
Death Knight – Seja quem for, não é um mortal Senhor, pois mortal algum poderia trazer o medo ao vazio de um Cavaleiro da Morte…
Wogal – Não é Medo, apenas o desconhecido há um pouco de humanidade dentro de ti ainda. Aproveite isso.

Os cavaleiros fazem uma reverência em sinal de respeito e deixam o aposento.
Wogal se acalma, e seus olhos voltam ao normal. Os lamentos se tornam baixos novamente.

Wogal diz ao vento:

“Se tu queres a Morte Lincht, a Morte é o que terás. Eu enfrentei a Morte por várias vezes e ainda estou aqui, porém quem és tu? Para trazer tormento a Almas Penadas que tem que pagar pelos erros que cometeram em vida, tu és mais baixo do que aquele que eu seguia antes!”

Através do vento também surge uma voz…
“Não invoque o nome em vão… mago…”

[continua…]
__
“In the middle of the hall the hearth is crackling…
Nobody notices….. the shadows stretching…
Everybody screams and sings and laughs…

Everybody…. except…. one…”

Evol – Tower of the Necromancer

[☺]Soundtrack

Há muitos mistérios sobre a figura de Wogal Bogard, um necromante que buscou a imortalidade de diversas formas ao longo de centenas de anos, mas que rendeu-se finalmente aos encantos da morte, pura e simplesmente. Traído até mesmo pelos deuses graças a sua busca pela necromancia negra, resolveu dedicar-se exclusivamente à busca pelo conhecimento e pelo poder. Durante sua juventude participou de inúmeras batalhas ao lado de seu grupo. Ficou conhecido como ‘O Arcano’ nas terras por onde passou e os bardos contam diversas histórias sobre seu temperamento incomum. Imortal graças à benção-maldição de um cajado místico, erigiu sua torre na Ilha dos Lamúrios, onde é servido por diversos Cavaleiros da Morte.
Por diversas vezes batalhou ao lado de Lincht. Hoje, porém, são inimigos mortais. Que tipo de ameaça poderíam oferecer um ao outro? Quais as medidas exatas de poder de um em relação ao outro? Será este o prenúncio de uma batalha entre os antigos aliados?
Veja na conclusão desta história: Sadness III.

\\ROOT:\UNIT 7\>[END OF SADNESS II]\[DAY 7]\> LOGOFF.EXE

.:[END]:.

:: Sadness I ::


“Os olhos da noite me cercam, a noite eterna do limbo, onde estará minha alma? Quero viver, mas esse direito eu já não tenho… Entrego a meu filho o manto de minha devoção ao senhor do universo, que ele seja capaz de levar adiante meu legado, representando o poder do relâmpago e a força dos grandes dragões azuis… Faço de seus aliados meus irmãos nesta batalha. Que a luz do relâmpago ilumine suas jornadas por esta terra.”

– As últimas palavras de Ziegfried antes de sua morte nos braços de seus aliados e de seu filho, Talber.

Memórias… lembranças… um relâmpago brilha na escuridão da noite… na solitária Ilha dos Lamúrios, um homem observa de uma janela no alto de sua torre.
Três cavaleiros da morte se aproximam, o tilintar de suas armaduras ecoa através do salão, um deles, que tem sobre sua cabeça uma coroa dourada, ergue sua mão em saudação. O homem o reconhece como Lorde Morbydus.

Wogal Bogard tem tido pensamentos estranhos, que invadem sua mente durante seus períodos de meditação, como sonhos distantes. Em um deles um gigante enfrenta o deus Ziegfried, que cai morto a seus pés, mas em outros é Ziegfried quem sai vitorioso… o significado destas “visões” ainda parece duvidoso, mas parece que não foi somente Wogal que teve essas sensações estranhas.

Lorde Morbydus – Senhor Wogal, os cavaleiros me pediram que subíssemos até aqui pois tem algo a lhe dizer…
Wogal – Cavaleiro?!
Death Knight – Desculpe-nos por invadir seus domínios senhor, sabemos que é contra nosso acordo, mas o que tenho a dizer é de suma importância… tenho tido… sonhos… O Senhor deve compreender que isto não é normal em nossa condição.
Wogal – De fato é muito estranho já que vocês não dormem. E também por que vocês deveríam ser ligados somente aos seus grilhões, ou seja, ao seu passado.
Death Knight – Mas os sonhos vem quando estou acordado, e não parecem estar ligados a mim.
Wogal – Muito estranho, mesmo… Mas o normal é que nada seja normal nesses tempos de sombras.
Death Knight – E como és um grande arcano, gostaria que interpretasse estes sonhos para mim… poderia fazê-lo?
Wogal – Claro, tudo para aliviar seu tormento, Alma Penada.
Death Knight – Em meu sonho há um homem… ele parece ser humano, orelhas redondas, rosto alongado… seus cabelos são longos e prateados, mas seus olhos são vazios… seus olhos são…

O cavaleiro hesita, como se tivesse receio do que estava prestes a dizer…

[continua…]
__
“Não diga que você não pode sorrir ou que você odeia a humanidade
Agora é a hora, mesmo se você não pode ver, existe um significado para tudo
Mesmo que os problemas do passado não podem ser apagados, não jogue sua vida fora”

UVERworld – D-tecnoLife

[☺]Soundtrack

A vida é apenas uma passagem, mas para alguém com o poder dos deuses essa passagem pode ser muito mais tortuosa do que a débil mente humana pode conceber. Quando dois seres além da compreensão se encontram tão próximos, quem poderá prever as conseqüências desse encontro? Enquanto isso a trama continua a ser tecida, lentamente, da maneira mais perfeita possível… E aos poucos essa trama vai se fechando.

\\ROOT:\UNIT 7\>[END OF SADNESS I]\[DAY 6]\> LOGOFF.EXE

.:[END]:.